Está pensando em trocar de carro, mas está em dúvida se a quilometragem do veículo é original?

Sem sombra de dúvida esta é uma grande preocupação das pessoas que estão pensando em comprar um carro usado ou semi-novo.  E não é a toa, pois a cada dia que passa, mais e mais pessoas estão usando da prática de fraudar o odômetro para tornar a venda de um veículo usado mais atraente. Infelizmente!

Porque a quilometragem é importante?

Temos que ter em mente que, quanto maior a quilometragem de um veículo, maior a probabilidade deste apresentar problemas, ou necessitar de uma manutenção um pouco mais cara.

É claro que, além da quilometragem do veículo uma série de outros aspectos devem ser analisados, como: o estado aparente do veículo, o desgaste dos pneus e até mesmo datas de revisões registradas no manual do veículo.

Garantia

Geralmente as fábricas ou montadoras, condicionam a garantia do veículo a um prazo determinado (exemplo: 3 anos) ou a quilometragem do mesmo (ex: 100 mil quilômetros). Lembrando que, um veículo que ainda está na garantia de fábrica tem um maior valorização no mercado.

Falta de manutenção adequada

Um problema muito comum em decorrência da quilometragem adulterada é o prejuízo causado por falta de manutenção adequada. Por exemplo:

Em alguns carros a troca da correia dentada, uma peça fundamental para o pleno funcionamento do motor, é recomenda pelo fabricante do veículo quando o mesmo atingir a marca de 30.000 quilômetros rodados.

Caso a quilometragem deste veículo tenha sido adulterada, o novo proprietário provavelmente não fará a manutenção desta peça tão fundamental no período recomendado, podendo causar uma pane no motor e em alguns casos mais drásticos torna-lo irrecuperável.

Fique atento as dicas:

1) Ano de fabricação X quilometragem média

Os veículos considerados de passeio, possuem uma quilometragem média anual que pode variar entre 5 mil quilômetros e 15 mil quilômetros. Ou seja, caso você esteja comprando um veículo com 3 anos de uso, faça uma multiplicação simples para identificar se o mesmo está dentro de uma faixa aceitável de quilometragem (entre 15 e 45 mil quilômetros). Caso o resultado da multiplicação esteja muito fora da quilometragem apresentada no odômetro do veículo, fique atento.

Vale ressaltar também que conforme a região do país essa média poderá ser diferente.

2) Saber proprietários anteriores

Pode parecer estranho saber o proprietário anterior de um veículo, para poder identificar se a quilometragem do mesmo foi alterada, não é mesmo?

Mas o fato é que, a partir da identificação do proprietário, podemos deduzir algumas características. Por exemplo:

Sabemos que carros utilizados como frota de empresas ou de locadoras de veículos tendem a não serem tão bem cuidados quanto carro de “particulares”, além do mais, estes tendem a ter uma quilometragem um pouco maior do que a maioria dos veículos de passeio.

3) Benefício tributário

Carros vendidos com uma redução no preço por conta de benefícios tributários, como redução do IPI, podem indicar que este veículo pode ter sido utilizado como taxi. Neste caso, a média de quilometragem também tende a ser maior do que a da maioria dos carros de passeio. Ou seja, se a quilometragem deste veículo estiver na média ou até mesmo abaixo da média citada acima, e tem essa característica. Desconfie!

Tenha mais informações em mãos

Cabe destacar também que essas são apenas algumas suposições que podem indicar algum tipo de irregularidade, considerando a quilometragem média da maioria da população. Mas esse tipo de informação, não descarta a necessidade de uma averiguação mais detalhada.

Para conseguir ter histórico e procedência do seu próximo veículo faça uma consulta no Consultar Placa e se previna de problemas futuros.

Categorias: Sem categoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *